fbpx

5 Filmes Pós-Apocalípticos, próximos a realidade.


A Estrada

Baseado no premiado livro de ‎Cormac McCarthy‎, autor de Onde os velhos não têm vez, que originou o filme estrelado por Javier Bardem.

A Estrada acompanha a jornada do pai (Viggo Mortensen) e seu filho (Kodi Smit-McPhee) tentando sobreviver num mundo devastado e sem cor. Sobrevivendo a saqueadores, doenças e canibais. É o mais pé-no-chão dentre os filmes do gênero, aqui pai e filho sequer tem nomes, tamanho é a sensação de desolação que a produção quer transmitir. Infelizmente os acontecimentos no filme não estão tão distantes assim.

O livro de Eli

Filme estrelado por Denzel Washington, Mila Kunis e o sempre excelente Gary Oldman, apresenta Eli vagando pelo, também devastado, mundo pós guerra, Aqui a algumas semelhanças com outros filmes do gênero, como o já citado A estrada e Mad Max, como a escassez de água, comida e o canibalismo. 

Outra produção com um pé na realidade. Embora o filme tenha seus momentos de ação, a crítica no filme, seja sobre a devastação da guerra, fanatismo religioso, pois no filme quase todas as bíblias foram queimadas, exceto uma, ou o controle e abuso de poder, por quem detém esse livro, são também fatos que não estão longe de nossa realidade.

Mad Max

Filme que deu fama a Mel Gibson, não é o primeiro filme pós-apocalíptico, mas com certeza foi o responsável por popularizar o gênero.

Produzido na Austrália em 1979, escrito e dirigido por George Miller, o primeiro filme não chega a ser pós-apocalíptico propriamente, a sensação de escassez não está presente, mas sim a violência das gangues e traz ao mundo Max “Mad” Rockatansky, policial rodoviário que tem um embate com uma gangue de motoqueiros liderados por Toecutter, interpretado por Hugh Keays-Byrne, que voltaria ao posto de antagonista (Immortan Joe) em Mad Max: Estrada da Fúria.

O dia depois de amanhã

Filme norte-americano pós-apocalíptico de 2004, aqui a catástrofe é climática. Protagonizado por Dennis Quaid e Jake Gyllenhaal.

O climatologista Jack Hall (Dennis Quaid) apresenta estudos alertando para o derretimento das calotas polares, como é de praxe, os políticos não dão importância, mas a destruição é inevitável, restando aos protagonistas e demais sobreviventes buscar refúgio no sul do continente americano, onde ainda ha algum calor, o filme não termina otimista, pois a cena final mostra o congelamento quase total do hemisfério norte..

Waterworld

O Mad Max na água. Embora subestimado o filme, tem qualidades. Na época do lançamento foi o maior fracasso em bilheteria e para a carreira de Kevin Costner.

A História começa em algum lugar no futuro, não se sabe a data, o mundo foi devastado pelo derretimento das calotas polares (olha ela aí) forçando as pessoas a viverem em plataformas flutuantes, sonhando com a mítica terra seca. O filme é fortemente enraizado na ecologia e preservação do meio-ambiente, a crítica está presente até mesmo no caricato antagonista vivido por Dennis Hopper, quando expressa idéias, muito similares aos políticos contemporâneos, ao dizer que deseja conquistar a terra seca “para trazer o progresso” a seus súditos.


Like it? Share with your friends!

Diogo Pereira

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

comentários